Pages

domingo, 16 de agosto de 2015

Hoje o tempo voa, amor

laughing
Fonte: https://flic.kr/p/6u5SXv
Bate uma felicidade tão grande quando se faz algo que se está com vontade. Pode ser aquela coisa mais simples como sair, abrir os braços, fechar os olhos e sentir o vento. Ou ligar o som e começar a dançar pela casa. Sem falar em loucuras, tipo cometer uns excessozinhos de vez em quando, tomar um porre daqueles e morrer de ressaca no outro dia, arriscar uma conversa com um estranho, enfiar a cabeça na janela e gritar alguma coisa para o mundo... Que graça tem a vida se não for para ser vivida? Do jeito que for. Independentemente da fase em que você se encontra naquele momento.

Há certo tempo adotei para minha vida a filosofia de “fazer sempre aquilo que estou com vontade”, após ganhar um conselho fantástico de um primo mais velho. Decidi insistir nisso. Fazer o que estou com vontade, desde que não me prejudique ou aos outros. Aos outros principalmente. E como isso tem feito diferença no meu dia a dia! Claro que não é uma coisa que resolve todos os percalços da vida, mas é um plus na caminhada.

Somos nós que vamos criando limites para nossa vida, com nossos cérebros cada vez mais over pensantes, tentando nos encaixar aos modelos da sociedade. Só que a sociedade sempre foi e sempre será muito cruel nos julgamentos e nas cobranças. Como li em um texto muito bom por esses dias: "Não importa como eu escolha viver a minha vida, as alternativas vão sempre estar erradas para os outros". Então, se o que você vai fazer para aproveitar sua vida sempre será errado para alguém, por que você vai deixar de fazer? Repetindo, acho que basta que sua ação não prejudique os coleguinhas.

Todavia, uma das coisas ruins de sermos humanos é estarmos suscetíveis ao causar mal inconscientemente aos outros, por alguma palavra dita sem pensar, por algum sentimento bobo nutrido, por nossas manias, nossos comportamentos padrões e por aí vai... Infelizmente não dá pra ser perfeito. Tem que ir tomando cuidado durante a prática das loucuras e ir se perdoando pelos erros e descuidos nossos, sempre caindo no clichê de ir aprendendo com eles.

Ainda que a sua vontade de aproveitar a vida naquele dia seja deitar na cama com um pote de sorvete, vendo seriado, só de satisfazê-la vai te dar prazer. Se não está legal, procure outra vontade! Precisamos aproveitar a vida, de alguma maneira, pois o tempo parece que tem passado com uma velocidade ainda maior que há alguns anos e o sentimento de não ter vivido o suficiente vem com muita facilidade.

2 comentários:

  1. Texto perfeito! Muita sensibilidade nessa alma...

    ResponderExcluir
  2. Texto perfeito!Vem da Alma sensível do escritor...

    ResponderExcluir